Pesquisar

sábado, 24 de junho de 2017

Radiografia do mediastino



O coração forma a maior parte da imagem radiopaca central em incidências PA (Figura B1.36), mas não é possível distinguir  as maras  cardíacas  individualmente.  É importante  conhecer  as estruturas  que formam  a silhueta cardiovascular, porque alterões nessa silhueta podem indicar doença ou anomalias funcionais (Figura B1.36A ).
Em radiografias PA (vistas A P), as margens da silhueta cardiovascular são:

 Margem direita, veia braquiocefálica direita, VCS, átrio direito e VCI
 Margem esquerda, parte terminal do arco da aorta, tronco pulmonar, aurícula esquerda e ventrículo esquerdo.

A parte inferior esquerda da silhueta cardiovascular representa a região do ápice. Quando presente, o ápice anatômico
típico costuma estar situado inferiormente à imagem do diafragma. Existem três tipos principais de silhuetas cardiovasculares, que dependem basicamente do biotipo (Figura B1.36):

 Tipo transversal, observado em pessoas obesas, gestantes e lactentes
 Tipo obquo, característico da maioria das pessoas
 Tipo vertical, encontrado em pessoas com tórax estreito.





















Figura B1.36 Silhuetas cardiovasculares (silhuetas mediastinais). A. Composição das margens da silhueta cardiovascular. B. Tipos comuns de silhueta cardiovascular.

TC e RM do mediastino
A TC e a RM são muito usadas para exame do tórax. À s vezes a TC é associada à mamografia para examinar as mamas (Figura B1.37). A ntes de obter imagens na TC, administra-se um contraste por via intravenosa. Como as lulas cancerosas da mama têm uma afinidade incomum pelo iodeto, podem ser reconhecidas. A RM geralmente é
melhor para detecção e delimitação das lesões nos tecidos moles. É muito útil para exame das vísceras e linfonodos do mediastino e das raízes dos pulmões, por meio de imagens planares (Figura B1.38) e reconstruídas (Figura B1.39). A s imagens de TC e RM transversais (axiais) são sempre orientadas para mostrar como pareceria a secção horizontal do corpo de um paciente deitado sobre uma mesa de exame para o médico posicionado aos pés do paciente. Portanto, o topo da

imagem é anterior, e a margem lateral esquerda da imagem representa a superfície lateral direita do corpo do paciente. Dados de TC e RM podem ser reconstruídos graficamente pelo computador como cortes transversais, sagitais, obquos ou coronais do corpo.























Figura B1.37 TC das mamas.





































Figura B1.38 Imagens de TC transversais seriadas do tórax. A. É indicado o nível de cada imagem (linhas tracejadas). B. No nível das articulações esternoclaviculares, a veia braquiocefálica esquerda (2) cruza a linha mediana anteriormente aos três ramos do arco da aorta (3, 4 e
5) para se unir à veia braquiocefálica direita (1), formando a veia cava superior [VCS] (22) em nível mais inferior. C. O arco da aorta (20) é obquo (mais sagital do que transversal) com a extremidade ascendente anteriormente na linha mediana e a extremidade descendente posteriormente e à esquerda dos corpos vertebrais (17). A VCS (22) no lado direito recebe o arco da veia ázigo (23) de sua face posterior. D. O tronco pulmonar (27) forma a haste de um Y invertido, com os ramos formados pelas artérias pulmonares direita (28) e esquerda (29). A artéria pulmonar direita (28) passa sob o arco da aorta [entre as partes ascendente (24) e descendente (25) da aorta]. E. Uma imagem no nível do diâmetro máximo do coração mostra as quatro câmaras (32 a 35) e a inclinação diagonal do septo interventricular (entre 33 e 35).

Legenda das estruturas nas imagens de TC transversais do tórax
1   Veia braquiocefálica direita
2   Veia braquiocefálica esquerda
3   Artéria braquiocefálica
4   Artéria carótida comum esquerda
5   Artéria subclávia esquerda
6   Esôfago
7   Traqueia
8   Brônquio principal direito
9   Brônquio principal esquerdo
10   Cartilagem costal
11   Esterno
12   Clavícula
13   Veia axilar
14   Pulmão direito
15   Pulmão esquerdo
16   Corpo vertebral de T IV
17   Corpo vertebral de T V
18   Corpo vertebral de T VI
19   Corpo vertebral de T VIII
20   Arco da aorta
21   Mediastino anterior (região do remanescente tímico)
22   Veia cava superior
23   Arco da veia ázigo

24   Parte ascendente da aorta
25   Parte descendente da aorta
26   Cone arterial
27   Tronco pulmonar
28   Artéria pulmonar direita
29   Artéria pulmonar esquerda
30   Veia hemiázigo
31   Vasos torácicos internos
32   Átrio direito
33   Ventrículo direito
34   Átrio esquerdo
35   Ventrículo esquerdo
36   Veia pulmonar direita inferior
37   Veia pulmonar esquerda inferior




















Figura B1.39 Angiografia por ressonância magnética reconstruída do coração e grandes vasos. Vista lateral (esquerda e ligeiramente anterior). Reconstruída a partir de dados gerados e acumulados por ressonância magnética espiral. Todas as câmaras do coração e grandes vasos são claramente visíveis. VCS = veia cava superior.



Pontos-chave
MEDIAST INO SUPERIOR, POST ERIOR E ANT ERIOR; ANAT OMIA DE SUPERFÍCIE DAS VÍSCERAS T ORÁCICAS Mediastino superior: O mediastino superior estende-se entre a abertura superior e o plano transverso do tórax. O único
órgão  que pertence exclusivamente a essa região  é o timo do adulto.  A s outras estruturas do mediastino  superior atravessam a abertura superior do tórax até a raiz do pescoço ou passam do pescoço para o abdome. No mediastino superior, as estruturas apresentam-se em camadas ordenadas, em sentido anteroposterior: (1) sistema linfoide (timo), (2) sistema vascular sanguíneo (primeiro as veias, depois as artérias), (3) sistema respiratório (traqueia), (4) sistema digestório (esôfago) e (5) sistema vascular linfático. O sistema nervoso não tem sua própria camada no mediastino superior, mas está integrado à 2a camada (nervos frênico e vago) e situa-se entre a 3a e a 4a camada (nervos laríngeos recorrentes). O padrão dos ramos do arco da aorta é atípico em cerca de 35% das pessoas.
Mediastino posterior: O mediastino posterior é a estreita passagem posterior ao coração e ao diafragma e entre os pulmões. Contém estruturas que seguem do tórax para o abdome ou vice-versa. O conteúdo inclui o esôfago e o plexo nervoso esofágico, a parte torácica da aorta, o ducto torácico e os troncos linfáticos, os linfonodos mediastinais posteriores, além das veias ázigo e hemiázigo. Os ramos da parte torácica da aorta situam-se principalmente nos três planos vasculares.
O sistema venoso ázigo/hemiázigo constitui o equivalente venoso da parte torácica da aorta e seus ramos mediastinais
posteriores. A parte torácica dos troncos simpáticos e dos nervos esplâncnicos torácicos pode ou não ser considerada componente do mediastino posterior.
Mediastino  anterior:  A  menor  subdivisão  do  mediastino,  entre  o  esterno  e os  músculos  transversos  do  tórax, anteriormente, e o perirdio, posteriormente, cuja principal importância é como plano cirúrgico, contém basicamente tecido conectivo frouxo e, nos lactentes e crianças, a parte inferior do timo.
Anatomia de superfície das vísceras torácicas: O coração e os grandes vasos estão situados na parte central do tórax, circundados lateral e posteriormente pelos pulmões, e são superpostos anteriormente pelas linhas de reflexão pleural e as margens anteriores dos pulmões, esterno e parte central da caixa torácica. A posição das vísceras do mediastino depende da posição em relação à gravidade, fase da respiração, do biotipo e da condição física da pessoa. A s partes apicais das pleuras e pulmões situam-se posteriormente à fossa supraclavicular. O plano transverso do tórax cruza o ângulo do esterno e demarca os grandes vasos superiormente a partir do perirdio/coração. A sínfise xifosternal indica a posição do centro tendíneo do diafragma.

*N.R.T.: A terminologia anatômica usa o termo incisura jugular, mas incisura supraesternal é o termo usado na prática cnica.